6 de agosto de 2009

Minha mãe é uma ciência


Utilizei uma expressão comumente empregada pelo amigo Varneci, para sintetizar as qualidades de minha querida mãe, que certo dia sentiu vontade de declamar via comunicador instantâneo. Ficou assim:

“Desperta a veia poética
Vem reanimar teu dono
Por ti já tenho passado
Diversas noites de sono
Pretendo um dia morrer
E te deixar no abandono

O mundo é um drama trágico
O Homem um ser perseguido
A vida um barco cansado
O tempo um rei prevenido
Com o tempo o tempo desanda
E dá o seu prometido!

Oh, Deus grande e protetor!
Rei dos reis e Pai dos pais
Protegei Hellaydo Jean
Aquele humilde rapaz
Livre-o dos inimigos
Que atrás do homem é demais!”

[Maria C. Miranda Santos]

"Mamãe você me deixou
Por demais emocionado
Quero só mesmo entender
Apenas um verso citado
"Me deixar" ou "a me deixar"
Sozinho e abandonado?

Sábia educação me deu
Mais que qualquer escola
Muito do que sou hoje
Digo em versos de viola
Não teria encontrado
Nem com ouro na sacola"

[Hellaydo Jean]

"Querido e amando filho
Te deixar jamais pensei
E saibas que também
Jamais t
e abandonarei"


[Maria C. Miranda Santos]

Um comentário:

disse...

vc tá se especializando nisso hein?

beijão