13 de setembro de 2009

Ainda temos heróis? E anti-heróis?


Escrever é um comprometer eterno de palavras com idéias. - H.J.

Criei este "pensamento" antes de publicar este post. Não seria tão difícil escrever, se não tivéssemos que elaborar essa sutil sintonia entre o que se pensa e da forma que se deseja expressar; ou pelo menos tornar-se compreendido. Conforme for o tema, é uma tarefa mais que complexa.

No entanto, queria apenas registrar reflexões influenciadas por uma manchete que chamou-me atenção:




Talvez sempre cultivamos a existência de um herói, a começar pela figura do pai, de um irmão, um amigo. Posteriormente, elegemos líder de alguma revolução, de alguma causa nobre ou até mesmo um famoso gângster. Também trazemos para nosso mundo, a figura do anti-herói.


A maioria dos heróis (pelo menos os institucionalizados!) já não habita nossa troposfera; alguns morreram de overdose. E quem disse também que não perdemos anti-heróis? A manchete abaixo justifica isso. Rubinho, batizado anti-herói pelo colunista José Simão, está abandonando seu posto (será???):


4 comentários:

JUliana disse...

É claro que a figura do herói se encontra a cada dia mais invisível em nossa sociedade, mas foi mara ver o cidadão atirando o sapato no Bush!
Mas creio que Rubinho não seja um anti-herói.Ele se assemelha a pessoa comum. Todos erram, todos acertam e por fim , conviver com as duas faces é arte!
Legal Sanctus!

Sanctus disse...

"Conviver com as duas faces é arte e criticar faz parte." _Juliana

Concordo contigo, Juliana. Não há registro de ser humano perfeito. Nunca houve. Todos comentem erros, somos vulneráveis... falhos!
Como eu disse no início do post, que a escrita compromete o pensamento, quis mesmo foi precaver-me de alguma possível má interpretação. (risos)

Espero mesmo que Rubinho consiga triunfar e, acima de tudo, mostrar que é igual a todos: demasiado humano e, pela sua persistência, um dia consiga atingir seus objetivos, como fez Lula.

Obrigado pelo teu comentário!
Beijos e volte sempre.

Juliana disse...

Viu! Rimou!!...bj

www.varnecicordel disse...

O meu amigo Jean
É um amigo capaz
Além de um ser humano
Gentil, bondoso e capaz
E quando escreve demonstra
Ser bom naquilo que faz.