21 de julho de 2009

São Paulo de todos os cantos e versos


Domingo divertido em Sampa
Visita ao Mercado Municipal
O encontro com bons amigos
É sempre o motivo principal
Comer sanduba de mortadela
E saboroso pastel de bacalhau!

[Hellaydo Jean]


Amei nosso passeio e...
Com o coração cheio
Não deixaria de escrever
Aos meus amigos
Sobre minhas impressões
Que este domingo fez nascer


Nosso especial passeio
Me fez muito aprender
Quero logo e anseio
Por outro roteiro do saber

Como bem disse meu amigo Jean
Nosso passeio foi muito importante
Pois nos fez abrir os olhos
Para esta cidade exuberante
Conhecendo frutas exóticas
Experimentando sabores profundos
Municipal é muito mais que mercado
É um pedaço do mundo!



Visitar a Catedral da Sé
São Bento e Pátio do Colégio
Conhecer a índia Bartira
Catequizada por Anchieta
Foi um raro privilégio!


Estação e Parque da Luz

Na praça boa moda de viola
Quem presta atenção vê
Como os animais vivem
Bem melhor fora da gaiola


Ao final um maravilhoso café
Não tinha açúcar, só alegria
Digo a vocês, meus bons amigos
Agradeço demais pela companhia
Meu domingo foi sinceramente
De extrema e infinita magia!

[Valéria Valvano]


Muito bem, poetisa Val!
Assim mostras que és
Uma escritora especial

Sempre escreva cada vez mais
Tens inspiração até demais
Alegria sempre traz
Aos teus amigos
Leais

No mundo dos versos e rimas
Solte as asas da imaginação
Entre no belo jogo das letras
Não pergunte que horas são
Quando sentir plena vontade
Deixa que fale o teu coração

Tua amizade é um presente
E eu te juro que sem ela
Ficaria até doente

[Hellaydo Jean]


Com tanta rima brotando assim
Eu nem sei o que fazer
Se tentar imitar a poetada
Ou botar tudo a perder

O fato é que esse passeio
Nos faz reconhecer
Que sem amigos nesse mundo
Só o diabo para nos socorrer

Ai meu Deus que conjecturas
Essa vida me leva a ter
Se ficar no bem-bolado
Ou dançar anarriê

[Adoniran e Luzia]


Como todos participaram
Agora me resta escrever
Por que não concordar
Já que tem tudo a ver

São Paulo terra da garoa
Com muitos lugares pra conhecer
De gente bonita e boa
E muita coisa boa pra comer

Que maravilha estes amigos
Que meus dias faz acontecer
Com muita cultura e sabedoria
Juntos muitos passeios a fazer

[Silvio Donizetti]


Silvio my dear friend
You talk about many things
You talked about São Paulo's mist
and places we must go to eat

One thing you forgot to mention
is the ubiquitous flanelinha
That exist only in São Paulo
and perhaps in Brasilinha

[Adoniran Miranda]


Agora chegou minha vez
De este diálogo ampliar
Amigos, permitam-me, assim
Minhas impressões estampar...

Julho haverá de ser pouco
Para toda São Paulo conhecer
Mas seus gestos e rostos brilhantes
Eu nunca haverei de esquecer

São Paulo é um mundo de formas,
Paisagens de encantos mil
Senti-me por vezes tomado...
Quão diverso é o nosso Brasil!

Bom mesmo foi ter construído
À medida de cada passo
Nos rincões de uma selva de pedras
Os amigos que agora abraço.

Recíproca é essa partilha
De amigos a São Paulo celebrar
Espero retribuir cada gesto
Em terras de Belém do Pará

[Edinaldo Gomes dos Santos]


Acompanhando as manifestações de meus (novos) amigos sobre o domingo que passamos juntos em Sampa, senti vontade de também escrever algo.

Mas aí pensei: não saberia escrever em prosa e verso, já que me foi dado apenas o dom da oratória, alcançado com anos e anos de magistério, e o da escrita formal, conseguido à custa de muitos Laudos, Relatórios e afins. Mas resolvi escrever assim mesmo, sem rimas, sobre as emoções vividas nesse dia (e foram muitas).

Prá começar, gostaria de falar de Sampa (na maior intimidade, como se paulistana fosse), mas aí lembrei: sobre essa mega cidade, plagiando Chico, já foi tudo dito e redito por poetas, escritores e toda uma gama de gente importante; quem sou eu, uma simples turista do Norte, prá ainda ter algo a dizer sobre ela?

Mas eu sou teimosa, resolvi escrever assim mesmo, e prá começar, transmito minha surpresa com a revelação de uma Sampa até então desconhecida prá mim, que aguçou meus sentidos com suas cores, cheiros, sons e sabores. Ahhh os cheiros e sabores do Mercado Municipal: cereja, jaboticaba, queijo, bacalhau, mortadela e uma infinidade de frutas de nome absolutamente desconhecidos prá mim. Huummm!!!! Irresistíveis!!!!

E as cores? O verde de todos os matizes do Parque do Ibirapuera e Parque da Luz, a profusão de cores do jardim japonês, da Catedral da Sé, da Estação da Luz e tantos outros.

O som melódico do cântico gregoriano no Mosteiro de São Bento parece nos conectar direto com o Pai, e a moda de viola dos repentistas no Parque da Luz reúne nortista e nordestinos, chorando a saudade da terra natal.

Tudo isso já seria uma dádiva ter experimentado, não fosse o mais importante: a companhia dos amigos. Edinaldo, meu colega/amigo há vários anos, Jean, essa pessoa doce que finalmente conheci ao vivo e a cores, o casal adorável, Lu e Iran, o casal simpaticíssimo, Val e Silvio, além dos caras “do bem”, Bruno e Fernando. Todos me acolheram com carinho, como se já fizesse parte do grupo. E sob um frio de quase 14 graus, senti o coração aquecido.

Foi uma experiência tão gratificante, que decidi repetir. Não sei quando, mas eu volto! E na falta do Ita, me resta “pegar um TAM no Norte e ir prá Sampa”....

E repetir...cheiros e cores

amigos do peito
sons e sabores

E de bem com a vida,
coração aquecido,
dessa vez, adiar a partida.

Ei, não é que a rima saiu?
Ah, foi por acaso, viu?

[Gladys Vasconcelos]


"Peguei um ita no Norte
Pra vir pro Rio morar,
Adeus, meu pai, minha mãe
Adeus, Belém do Pará

Mamãe me deu uns conselhos
Na hora de eu embarcar
Meu filho, ande direito
Que é pra Deus lhe ajudar

Peguei uns troços que eu tinha
O resto dei pra guardar
Talvez eu volte pro ano
Talvez eu fique por lá

laiá, laiá, adeus Belém do Pará

Tou há bem tempo no Rio
Nunca mais voltei por lá
De um mês inteiro a dez anos
Adeus Belém do Pará"

[Dorival Caymmi - Peguei um ita no Norte]


5 comentários:

Hosana disse...

Oi Jean!!!

Como vocês fizeram em verso e prosa
Tudo foi descrito de maneira prazerosa
Toda cultura é interessante e bela,
Mas o sanduiche de mortadela
Foi de rezar em qualquer capela.

Gde abraço

Hosana

Jocel disse...

Jean comendo sanduba de mortadela...!?

Elbanice Raquel disse...

É isso aí, queridos irmãos,
cada vez mais me impressiono
com suas férteis imaginações!

Daqui de Minas Gerais
Também anseio em desfrutar
De alegrias tais
Vontade é o que não falta
De em São Paulo passear!

Fico aqui só na saudade
E com ela contando os dias
Para uma boa oportunidade!

Abraços,

bisteca disse...

Pô, Jean,
quantas saudades de Sampa!
a foto do sanduba de mortadela me encheu de água na boca...

pra esse povo amigo
elogio de minas envio
tanta inspiração
fez bater mais forte meu coração...
rsrsrs

abraços fraternos
Sheila

Sanctus disse...

Obrigado pelos comentários, versos e rimas! Pelo jeito todos também se deixaram levar pela magia da poesia. Que ótimo! Continuem assim e acessando este blog.